Quero falar

Quero falar,
dizer algo
que está preso
ao meu peito
como um anzol feito
de incapacidade.
 
Forçando uma aparição,
obrigo as palavras a jorrar
desta dentada ferida aberta,
evitando borrar
todos os sentimentos,
para mais tarde recordar.
 
Vomito palavras
que me dilaceram
a alma,
mas todas têm que sair.
 
A garganta arde,
os dentes arranham-nas,
soltando gritos de dor
e saudade repentina
ao riscar na platina
das palavras uma fina
marca de desespero mudo,
e através da espessa
atmosfera de indiferença
tentam elas penetrar,
apenas para voltar,
a voar,
para a ausência
da razão.
 
Engulo-as de volta.
Talvez numa outra altura.
19.05.2016
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s